Bioética

Aspectos da bioética

A bioética é uma predica relacionada e conjuga de um saber, uma experiencia e uma competência normativa no contexto de agir humano.

O termo bioético é um neologismo que resulta da junção de duas palavras gregas:
 Bio – quer dizer “vida”
Ethos – quer dizer “ético”
Este termo foi introduzido pela primeira vez pelo biólogo e medico antologista Van Rensslaer Patter em 1971, na sua obra bioética: ponte para o futuro, como ética da vida ou seja, o estudo sistemático da conduta humana na área das ciências da vida e cuidados de saúde.  
O termo bioético foi-se aprimorado de tal modo que nos nossos dias o mesmo ganhou uma forma de significações mais profundas.
A bioética começa a consolidar-se após a segunda guerra mundial quando, chocado com os práticos abusivos e desumanos dos médicos Nazis nos campos de concentração.
O ocidente cria um código que tinha como principio fundamentalmente o respeito pelas vidadas dos seres animados, em geral, e sobre tudo a dos homens, julgando-se necessário que o progresso da ciência e da técnica fosse controlado e acompanhado.
Nome da consciência da humanidade, isto é diz respeito aos efeitos provados no mundo ou na sociedade. Em 1974, o tribunal de Nuremberga que julga os crimes cometidos na segunda guerra mundial criou um código mundial, no qual se reconhece a dignidade de  todos seres humanos.
É importante que homem, perante os progressos da técnica e da ciência, tomem decisões éticas de maneira a salvaguardar e possibilitar um mundo humanizado.

Com a ética é aplicado a prática, a bioética é um esclarecimento e a resolução de questões éticas que advêm dos progressivos avançados e aplicações das tecnologias biomédicos.
A filosofia, bioética tem uma tripla ligação:
Função descritiva consiste em analisar os conflitos que surgem nas sociedades provocadas pelo progresso da técnica e da ciência na área da medicina (na vida e na saúde humana assim como na dos animais).

Funções normativas

Consiste em estabelecer normas com relação a tais conflitos por um lado prescrevendo os comportamentos reprováveis e por outro escrevendo comportamento os moralmente aceitáveis.
Funções procionistas
 Consiste em proteger na medida do possível, os inválidos em disputas de natura axiológicas ( de valores) dando maior primazia aos fracos.
  David Ray director do centro da bioética da universidade, defende bioética como “estudo sistemático das dimensões maiores das ciências da vida e de atenção á saúde”.

Métodos da ética missionário da interdisciplina

 A pratica é o discurso técnicasciencias (com especiais destaque, para a medicina e a bioética) ciências humanas psicologia, sociologia). Disciplinas com ética são: a filosofia e a teologia.
A problemática do aborto
Entende-se que abordo é a interrupção da gravidez quando o feto não pode subsistir fora do ventre materno.

A mulher grávida não pode fazer mal a gravidez como por exemplo:
Ø  é um mal matar um ser humano inocente;
Ø  – Um feto humano é um ser humano inocente;
Ø  – Logo, é um mal matar um feto humano.
A primeira premissa ou frase é um assunto comum a negar com a premissa deste assunto.
No ponto de vista não acho justo matar um feto humano ou melhor um ser humano inocente.
A primeira toda mulher deve perguntar-se no sentido se já estou preparada para ter um filho.

Tipos de aborto

 Existem três tipos de aborto que são: aborto espontâneo, aborto provocado e aborto terapêutico.

Aborto espontâneo

É aquele que ocorre devido as causas naturais, isto é, sem a vontade das pessoas ou de qualquer intercessão humana. Por isso é livre de qualquer avaliação moral.

Aborto provocado

É aquele em que, por causas económicas ( falta de recursos para sustentar e criar um filho ) ou sócio-psicos (o desejo de não querer ser mãe solteira ou ter sido vitima de uma violação, a fecundação não foi livre e concedida pela mulher.

 Aborto terapêutico

 É aquele que resulta como forma de salvar a vida da mãe seriamente ameaçado.

Eutanásia

A palavra a cima vem do grego “eu” que significa bem, e “thanasia” que quer dizer morte “eutanásia’ quer dizer “boa morte” ou seja “morte traquina”.
Essa morte trata-se de uma morte piedosa, ou seja a morte de alguém por motivos de piedade e compaixão.
A eutanásia é um acto médico que tem a finalidade acabar com a dor dignidade na doença crónica e no morrer, eliminando o portador da dor. Nesta situação da doença terminar do paciente, por causa da sua autonomia os médicos responsáveis pelos doentes devem esclarecer aos pacientes os procedimentos ao doente ou seja ao paciente em termos de sua situação de saúde, que seria nesse caso a eutanásia;  neste modulo o paciente com a doença terminar deve livremente escolher a única vida terminal a sua vida, falando ou comunicando-se com medico responsável para lhe aplicar a eutanásia (a morte apropriada)

A diferença da eutanásia é a distanásia – é um procedimento médico que consiste na tecnologia médica da vida do paciente que estão em fase terminal. a eutanásia se preocupa prioritariamente na vida humana, na fase terminal  isto quer dizer “aliviar a dor e o sofrimento do paciente”.

Tipos de Eutanásia

Eutanásia activa e eutanásia passiva Existem duas formas de prática da eutanásia: activa e passiva. A eutanásia activa acontece quando se apela a recursos que podem findar com a vida do doente (injecção letal, medicamentos em dose excessiva e etc.). Na eutanásia passiva, a morte do doente ocorre por falta de recursos necessários para manutenção das suas funções vitais (falta de água, alimentos, fármacos ou cuidados médicos
A distanásia dedica-se a prolongar Meimoa duração da vida humana, combatendo a morte com ultimo inimigo.
O filósofo ou seja a filosofia e os cientistas, a eutanásia corresponde a uma morte piedosa. O doente tem o direito de morrer em paz, evitando um sofrimento doloroso.

Ontologia de um ser embrião

Os filósofos se ocuparão da natureza essencial dos seres e por isso não duvidarão de que o embrião é um ente vivo da espécie humana. Essa noção é quase que pacífica e deriva da noção clássica, proposta por Boécio, de que a pessoa é uma substância individual de natureza racional. A filosofia reconhecerá o embrião como indivíduo.
 Isso porque, em linguagem filosófica, o indivíduo é o oposto do género. De outra banda, afirmará a natureza humana quando detectar a presença do espírito ou alma humana no embrião. Mas, aí, o filósofo não conseguirá comprovar a presença de uma alma racional no minúsculo ser.
Não poderá, igualmente, refutar a hipótese de que ela não exista. Não conseguirá estabelecer o instante a partir do qual o embrião será dotado de humanidade. Estará, portanto, diante da dúvida ontológica que, no plano ético, conduz a respeitá-lo como pessoa.

Conclusão

Chegado ao fim, do trabalho concluí-se que a bioética é uma prédica relacionada e conjuga de um saber, na pesquisa aprendemos as ligações da bioética as funções normativas, funções procionistas, métodos da ética missionário da interdisciplina. a problemática do aborto e seus aspectos definindo-os, aborto espontâneo é aquele que ocorre devido as causas naturais. Eutanásia “eutanásia’ quer dizer “boa morte” ou seja “morte traquina”. E encontramos a distanásia dedica-se a prolongar meimoa duração da vida humana.

Referências biográficas

BIRIATE Manuel Mussa, e GEQUE Eduardo, pré – universitária – filosofia 11classe, longman Moçambique.
Archer, Luis Etal, Bioética, Verbo,Lisboa, São Paulo