Basquetebol

Introdução

O basquetebol é uma modalidade desportiva que cresce cada vez mais. Conheça a origem, algumas regras e fundamentos desse Desporto.

Nem todos os desportos nasceram na Grécia antiga, como alguns acreditam. O Basquetebol, por exemplo, é um desporto bastante recente, tendo nascido nos anos finais do século XIX.
E então, de uma medida para suprir uma deficiência nas aulas de educação física até se tornar um dos desportos mais importantes do mundo, o basquete passou por muitas transformações e acumulou muitas histórias interessantes.


Basquetebol

É uma espectacular e exigente modalidade desportiva colectiva praticada por duas equipes, cada uma composta por dez jogadores: cinco efectivos e cinco suplentes.
O campo é rectangular e limitado por duas linhas laterais e duas finais.

Objectivo

·         Introduzir a bola no cesto do adversário (acção ofensiva).
·         Evitar que a equipa adversária introduza a bola no nosso cesto (acção defensiva)
A bola de basquetebol: perímetro 75/78 cm, peso 600/650 g .
Medindo a altitude do chão em relação ao cesto temos 3,5m.

Quanto a latitude de onde começa a tabela ate onde existe as barras fixas que da estabilidade ao cesto e a tabela temos 1,20m.
Largura da boca do cesto 0,45m.

Historial do basquetebol

O basquetebol ou bola cesto é um jogo desportivo colectivo inventado em 1891 pelo professor de educação física canadense James Naismit, na associação Cristão de Rapazes de Ipringfield, Mussachuselts Estados Unidos.
É disputado por duas equipes de 19 jogadores (5 em campo e 5 suplentes) que tem como objectivo passar a bola por dentro de um cesto e evitar que a bola por entre o seu cesto colocado nas extremidades de quadra, seja num ginásio ou ao ar livre.
O basquetebol é praticado desde os “Jogos Olímpicos de Verão de 1936 em Berlim”
O nome vem de inglês basketball, que significa literalmente “bola em cesto”. É um dos desportos populares do mundo.
Mais tarde Naismit recebeu a tarefa do seu director:

·         Criar um desporto que os alunos pudessem praticar em local fechado, pois o inverno costumava ser muito rigoroso, o que impedia a prática do Base-ball e do futebol Americano. Foi ai que ele destacou a basquetebol num local fechado e com piso de madeira.

Logo escreveu regras básicas do jogo e ponderou um cesto de Pêssego a uma altura que jogou adequado: 10 pés, equivalente a 3,05m. Altura de que se mantém ate hoje; já a quadra possuía, aproximadamente, metade do tamanho da actual.

O primeiro jogo do Basquetebol foi disputado em 20 de Janeiro de 1892, com 9 jogadores em cada equipe e utilizando-se uma bola de futebol sendo visto apenas por funcionários da ACM. A cesta foi feita de uma distância de 7,6 metros. Equipes de cinco passaram a ser o padrão por volta de 1897-1898.

Inicio do jogo

 O jogo começa com o lançamento de bola <<bola ao ar>> feito por um dos árbitros no circulo central, entre dois jogadores adversários que saltando, tentam tocar a bola para os companheiros da equipe.
Esta não pode ser agarrada, mas só batida e no máximo, duas vezes.
Por vezes, esta acção surge designada como “entre dois”.

Arbitragem

O jogo é dirigido por dois árbitros que assinalam as infracções e vigiam conduta dos jogadores. São auxiliados por um secretario (para o registo de boletim de um jogo) e por um cronómetro (que controla o tempo de jogo) cada vez que é interrompida, o cronometro para.

Infracções e penalidades

Ingressai – dá-se quando um jogador não respeita as regras
As infracções podem ser:
·         Penalidades (das faltas pessoais)
·         Faltas pessoais
·         Penalização (dos vilões)
·         Violação (com a bola; em relação as marcações do campo de jogo)
·         Substituição 

Fundamentos

·         Movimentos básicos
Posição base

Joelhos, semiflectidos, peso assente equilibradamente sobre ambos os pés, trono vertical, cabeça levantada braços semeflectidos, concentração, desmarcação e equilíbrios apito a partir em qualquer direcção.
Movimento lateral
Avança, no sentido da progressão lateral de um pé buscando um rápido apoio. Depois avança a outro. Com flexão natural de joelhos e permanente equilíbrio.
Giros (pivots ou rotações)
Movimento semelhante ao de um compasso ao descrever um círculo. O ponto fixo é o pé eixo que não pode levantar. Rodar sempre de ponta do pé e apoiar de seguida o pé livre (bater com o pé) firmemente.

Posição defensiva
Tal como a posição base; atenção aos movimentos dos adversários, posição do cesto e da bola.
Afastado cerca de 1,5 m a 2 m quando o adversário esta longe do cesto; a distancia do braço estendido, quando esta perto.

Recepção da bola

Ir ao encontro da bola, usar ambas as mãos, com dedos normalmente abertos, firmemente (bater com as mãos) – gesto activa. Sempre que possível efectuar um pequeno salto visando recepção equilibrada a um tempo (pés paralelos).

Recepção a um tempo
Após boa pega da bola, contactar o solo com pés paralelos, flexão de joelhos, tronco direito.
Neste caso, é possível usar qualquer pé como eixo. Dai a grande vantagem desta recepção que implica grande equilíbrio e da grande possibilidade de acção.

Recepção a dois tempos
Nem sempre é possível controlar o equilíbrio necessário da “recepção de tempo”. O avanço de um pé visa travar o movimento em frente. Neste caso, dá-se uma limitação. Apenas o pé de trás pode ser usado como eixo.

Empunhadora geral
É feita com os dedos e a parte calosa das mãos polegares de frente para o outro nas laterais da bola. Não é correcto assegurar a bola com as mãos (palmas).

Manejo de corpo
São movimentos corporais utilizados no basquete que são movimentos que visam facilitar a aprendizagem dos fundamentos com a bola, incluindo: finta, giro, mudança de direcao, mudança de ritmo e parada brusca.

Finta

Pela frente, por trás, reversão, por baixo das pernas e em passe livre, a finta pode ser realizada.

Drible

É a progressão da bola batendo-a no solo com uma ou outra mão.
O drible jamais pode ser feiro com as duas mãos em simultâneo.
Tipos de dribles
·         Drible de progressão: utilizado fundamentalmente para sair de uma zona congestionada e avançar no terreno sem encontrar o corpo do adversário;
·         Drible de protecção: é usado para abrir linhas de passe e para garantir o passe de bola, onde o jogador tem de dar maior atenção á protecção da bola “roubar a bola do adversário é considerado um drible de protecção;
·         Drible pedalada: pique a bola do chão e faca o movimento da pedalada do basquetebol por cima da bola;
·         Drible alto: para progressão normal, a bola sobe naturalmente ate ao nível das ancas, ritmo de batimento normal;
·         Drible baixo: bola á altura do joelho, para mudança de mão ou paragem do adversário (protecção de bola). Ritmo de drible rápido.

Regras do drible

Ø  O jogador no ar e cai com dois pés ao mesmo tempo. Quando retirar um dos pés, o outro será considerado pé-de-pivô;
Ø  O jogador recebe a bola um dos pés, o outro será considerado o pé-de-pivô;
Ø  Receber a bola no ar e um dás toca o solo deve tocar no solo antes de outro; etc.

Passe

Acção realizada de forma a colocar a bola num companheiro que se encontra em melhor posição para a criação de situação de finalização ou para a progressão no terreno do jogo.
Existe vários tipos de passe, podendo ser: picada; peito; com duas mãos; lateral; com 1 mão, por detrás das costas, etc.
Ø  Passe com uma mão: é usado para lançar a bola mais longe.

Ø  Passe de peito: como o nome indica, com a bola à altura do peito é arremessada frontalmente na direcção do alvo.
Assegura-se a bola, dedos para cima, polegares na linha do outro, com avanço do corpo e uma perna, os braços estendem-se completamente, e as mãos deverão apontar para fora no final do gesto técnico.
Técnicas:
1.      Colocar os cotovelos junto ao corpo;
2.      Avançar um dos apoios;
3.      Executar um movimento das repulsões com os braços;
4.      Executar a rotação dos pulsos;
5.      Após a execução das mãos viradas para fora e polegares a apontar para dentro de para baixo.
Passe picado ou quitado

Muito semelhante ao passe de peito, tendo em conta que o alvo inicial é o solo; os mesmos principais do passe de peito. Aumentam o gesto do pulso.
Ele é usado em caso de oposição.
Técnicas
1.      Colocar os cotovelos junto ao corpo;
2.      Avançar um dos apoios;
3.      Executar um movimento de repulsão com ombros.
Passe de ombro (ou de basebol)
É utilizado nas situações que solicitam um passe comprido. A bola é lançada como lançamento de uma bola de uma bola no basebol (daí o nome).
É um tipo de passe com uma trajectória linear, e em direcção ao alvo, o braço estende-se e termina por um “golpe de pulso”. Para distancias longas contra-ataques ou com aposição.
Técnicas

1.      Segurar a bola com as duas mãos por cima do ombro;
2.      Colocar o cotovelo numa posição levantada;
3.      Avançar o corpo e a perna do lado da bola;
4.      Fazer a extensão do braço e finalizar o passe para as distâncias maiores.
Passe por cima da cabeça
É usado quando existe adversário entre dois jogadores da mesma equipe.
Técnicas
1.      Elevar os braços acima da cabeça;
2.      Avançar um dos apoios;
3.      Executar o passe com o movimento pulsos e dos dedos.

Lançamento

É a acção de projecção da bola da bola a sua colocação dentro da cesta.

É objectivo fundamental do basquetebol.

Princípio geral

Bola sempre segura; o corpo em equilíbrio.
Utilizar uma trajectória media, acção do pulso e dos dedos são fundamentais, Todo o corpo lança e buscar a total extensão corpo e do braço. É fundamental a concentração.

Principais lançamentos

Ø  Bandeja (na passada);
Ø  Pardo;
Ø  Suspensão;
Ø  Gancho.
Bandeja

É um lançamento que tem que dar dois passos: o primeiro de equilíbrio e o segundo de distancia.
Que pode ser feito em movimento com passe ou driblando.
Lançamento parado e em suspensão
Tem normalmente lugar após paragem rápida ou no fim do drible.
Gancho
O lançamento que deve ser feito em movimento.

Sistema defensivos (defesa)

Defesa individual “homem a homem”
Processa de acordo com tudo que foi dito antes. E mais indicado pela necessidade de aplicar os fundamentos defensivos e, sobretudo as trocas de marcação.
Homem a Homem “Meio campo”

Após a perda da bola tem lugar três acções:
1ª: Recuperação defensiva rápida (recuo a meio campo)
2ª: Organização ou encaixe. Cada qual localiza a marca ou respectivo adversário. Distâncias normais ao adversário.
3 ª: Os defesas fecham “linhas de lancamento” ou seja, posicionam-se entre o adversário e o cesto.
Homem a homem “precionante” (Presssing)
1º. Marcação sistemática ao jogador com bola. Os restantes jogadores marcam em cima, intercepção, ou seja fecham linhas de passe.
2º. Quando necessário, um jogador ajudara o colega (de momento) criando uma situação de “2 contra 1” (vantagem numérica).

Defesa a zona  

Segundo princípios já referidos, a defesa “à zona” pode ser: 2.1; 2; 2.3;3.2.
Existem outras disposições, mas estas sãos as mais adequadas a estas ocasiões etários.
Esta forma de defesa, porque garante um prévio conhecimento das posições dos elementos da equipe; facilita as acções de contra ataque.

Conduz, porem com jovens, a um certo imobilismo prejudicial a aquisição e desenvolvimento dos fundamentos individuais defensivos. Pelo que deve ser utilizado a consolidação desses fundamentos.
Defesa Mista
Utilizada quando existe vantagem na marcação especial a um adversário dotado de grande capacidade realizadora. Deste modo, provoca-se frequentemente uma situação de vantagem numérica de (2 contra 1), da qual é possível tirar partido.
Sistemas ofensivos (ataques)
Todo o ataque se desenvolve imediatamente após a posse de bola.
Ataque contra zona
Implica a definição de funções de acorde com as características dos jogadores (tal como H a H).
Normalmente de acordo com designação que indicamos “genericamente, pois existem outras”.
Ataque contra H a H
Neste tipo de ataque é essencial ter boa técnica individual, fintas, simulações, mudanças rápidas de ritmo e direcção e o próprio domínio de drible.
No seu desenvolvimento buscam-se disposições posicionais de ataque preventiva definidas utilizando: cortinas, bloqueios e aberturas de linhas de passe (desmarcação).

Contra-ataque

Uma vez recuperada a bola é protegida (cabeça levantada, logo imediato) e o contra-ataque é a primeira vez opção ofensiva.

Quadro do basquetebol

O quadro do basquetebol pode ser fechado, ou mesmo ao ar livre.

As dimensões são de 28 metros de comprimento e por 15 metros de largura. No mínimo ela apresenta um comprimento igual a 26 m e uma largura de 14 m.

Linhas do campo

·         Linhas laterais: delimitam o espaço do jogo;
·         Linhas limitem: delimitam o espaço de jogo, no entanto estão localizados atrás dos cestos;
·         Linhas centrais: localizada bem no meio da quadra, ela divide o espaço total em dois iguais.
·         Linhas de 3 pontos: linha circular localizada a 6,75m de cada cesto. Recebe este nome pois os lances desses locais valem 3 pontos;
·         Círculo centra: acima da linha central, esta o circulo central esta um circulo desenhado bem no meio e possui 3,6 m de diâmetro.


Conclusão

No presente trabalho conclui-se que, para o processo de ensino e aprendizagem, nas instituições de ensino educacional é também fundamental a pratica das várias modalidades desportivas existentes. E imperioso no trabalho de em causa citar o basquetebol.
O basquetebol é uma metodologia desportiva colectiva praticada com as mãos, e destacou-se o seu historial fundamentos e as limitações quando onde e executada o mesmo desporto.
Em contrapartida relata como ponto de vista que o basquetebol, pode ser praticado por pessoas de género masculino.
 

Referências bibliográficas

GERAÇO, e tal, Porto Editora – 11ª classe, 2ª ed, Mocambique.
CORREIA, Licio Pereira, Porta Editora, Mavilde G.E.A PEGUEREIRO, educação Física e Desporto no Ensino Básico, Instituições de Ensino Educacional.