Crescimento Populacional

Introdução
O presente trabalho tem como objective abordar vários aspectos do Crescimento natural, compreender assuntos relacionados ao crescimento natural, sua distribuição e compreender os conceitos.
Fecundidade

A Taxa de fecundidade e uma estimativa de número médio de filhos que uma mulher teria ate o fim de seu período reprodutivo, mantidas constantes as taxas observadas na referida data.

Factores de fecundidade
Biológicos, sociocultural e psicológicos, socioeconómicos demográficos e políticos.
Factores Biológicos a fertilidade dos indivíduos.

Sociocultural nível de educação, crenças religiosas, espaço de residência (campo ou cidade) e as expirações sociais.
Socioeconómico nível de desenvolvimento e qualidade de vida das pessoas.
Natalidade
E o numero proporcional dos nascimentos que ocorrem numa população e num tempo determinado.
Taxa de natalidade – e a percentagem de crescimentos ocorridos em uma população em determinado período de tempo.
Para a demografia, a taxa de natalidade e uma medida de quantificação da fecundidade.

Em geral, a natalidade e a media sobre o período de um ano e tem por base o numero de nascimentos de uma população por cada mil habitantes.
A natalidade fornece dados que permitem estruturar politicas sociais e económicas.
No caso das populações que envelhecem a taxa muito rápida e registam poucos nascimentos, e provável que fiquem estagnados e não sejam produtivas do ponto de vista económico.
Mortalidade
E medida pela taxa mortalidade, ou número de Óbitos em relação ao número de habitantes. Se analisam os óbitos de determinadas doenças e botem-se a mortalidade em determinado local e período, com o objectivo de estabelecer a prevenção de saúde publica, através do registo sistemático das declarações de óbitos.
Taxa de Mortalidade

E um índice demográfico que reflecte o numero de mortes registada, em media por mil habitantes em uma determinada região em período de tempo.
Mortalidade infantil
Representa as crianças que morrem antes de completar um ano.
O conceito de mortalidade infantil esta intimamente ligado as condições de vida da população, especialmente o acesso aos recursos de saúde e alimentação.
São contalizados os óbitos de crianças ate o primeiro ano de vida, estas taxas alteraram-se primeiramente nos países desenvolvidos no mundo, e vem reduzindo expressivamente nos países em desenvolvimento, enquanto ainda são elevadas nos países subdesenvolvidos.
Demográficos – condição de mortalidade geral, e infecto juvenil em particular, estrutura etária, idade de casamento, tipo de casamento (monogâmicos ou poligâmicos), estabilidade e instabilidade conjugal.
Politico – politicas populacionais adaptadas referentes sobretudo ao planeamento familiar idade legal de casamento e a problemática do aborto.

Factores que interferem nos índices de mortalidade: salários, super-exploracao do trabalho, factores socioeconómicos, monetários, progressos bactericidas, quimioterapia, controle de doenças infecto-contagiosas, saneamento, nível de vida, vacinas.
Saldo Fisiológico
O S.F. ou crescimento Natural e a diferença entre o número de crescimentos e no número de Óbitos numa dada população num determinado período de tempo.
O crescimento natural ode ser:
Positivo quando o número de nascimento for maior do que o número de mortos.
Negativo quando o numero de nascimento for menor que o numero de mortos.
Nulo quando o numero de nascimentos for igual ao numero de mortos.

Para o crescimento natural ser positiva, a taxa de fecundidade, precisa ser superior a dois filhos por cada mãe, leva-se em conta porem que o crescimento natural esta directamente ligado a actualidade sócio económica do pais, afinal quando melhor infra-estrutura, as condições sociais do pais, tende a ser menor o crescimento natural.
Um crescimento natural negativo e típico de países com alto índice de desenvolvimento humano, e atingir a industrialização não pode ser visto como benéfico, tal feito traz consequências futuras ruins para países como previdência social sobrecarregada.
No caso das populações que envelhecem a taxa muito rápida e registam poucos nascimentos, e provável que fiquem estagnados e não sejam produtivas do ponto de vista económico.
Migrações
Migração e o deslocamento do indivíduo dentro de um espaço geográfico de forma temporária ou permanente.
A migracoes pode ser externas ou internas>

Migrações externas – de um Pais para o outro.
Migrações Internas – podem ser inter-provinciais, inter-distritais, definitivas ou temporárias.
Exodo Rural – deslocamento da população da zona rural para a zona urbana.
Exodo Urbano – deslocamento da população da cidade para o campo.
Factores das migrações
Ordem natural e ordem económica.
Ordem natural – calamidades naturais, fertilidade do solo.
Ordem económica – industria, serviço público.
Consequência das migrações

Podem ser positivas ou negativas.
No campo negativas
  • Saida de riquezas, porque a população que migra passa a investir na cidade
  • Permanência de mão-de-obra idosa e pouco empreendedora.
  •  Perda de mão-de-obra com plena capacidade produtiva.
No campo positiva

  • Maior facilidade na mecanização dos campos
  • Concentração fundiária porque os agricultores, que migram acabam por vender suas explorações agrícolas.
Na cidade positiva
  • Rejuvenescimento da população o que se revela numa maior capacidade empreendedora e na dinamização das economias.
  • Difusão de novas culturas
  • Aumenta a disponibilidade de mão-de-obra.
Na cidade negativas
  • Aumento de desemprego e subdesemprego
  • Saturação demográfica
  • Precárias condições higieneco-semiterios. 
Causas da migração

As causas das migrações humanas são várias e bem complexas, pois para alem das condições naturais e económicas verificam-se, muitas vezes razoes de idolo politica religiosa, técnica, social e moral.
As causas da migração podem ser:
Politicas, económicas, religiosas, étnicas, naturais, socioculturais, turísticas e bélicas.
Politicas a falta de liberdade de expressao, ausência de Jornais privados e a cobicao de alguns regimes políticos são factores que contribuem fortemente para a imigração de países onde as liberdades fundamentais são mais eficazes e sobretudo respeitadas.
Económicas – o fraco crescimento das economias acabam por se repercutir em diversos indicadores económicos como taxas de inflação, taxas de juros e o desemprego, que contribuíram para um débil desenvolvimento das economias.
Religiosas o combate e a estigmatização de grupos religioso, a não-aceitação de indivíduos que professam religiões distintas em grande parte dos países e intransigência religiosa tem originado muitas mortes, o exemplo prático são os considerados extreministas religiosos.

Étnicas geralmente são causadas por grupos ou comunidades com origens étnicas diferentes que quando instaladas numa determinada região ou área, acabam por expulsar os demais que normalmente constituem a maioria.
Naturais são normalmente provocadas por secas, inundações catástrofes, erupcoes vulcanicas ou outras interperias de índole Olivença. A população e obrigada a imigrar com o intuito de nobre viver.
Sociocultural acontece quando os cidadãos acabam de imigrar para as grandes metrópoles por motivos de ordem cultural, onde acabam por ficar pelo facto de fornecer do desenvolvimento da sua actividade, estudantes, músicos, cientistas e artistas.
Turísticas acontecem quando os cidadãos viajam para um pais como turistas, com objectivo de passar as ferias, ou conhecer novo locais e acabam por permanecer a trabalhar.
Bélicas estão relacionadas com os conflitos armados e guerras civis que acabam por degradar parte das infra-estruturas e a vida produtiva do Pais, levando/o as ruínas.
Ultimamente esta tem sido uma das principais causas de grande parte dos principais fluxos migratórios. 
Tipos de migrações

·         Transumancia nesse tipo de migrações um grupo de pessoas mudam de cidade, estado ou pais por um determinado período, geralmente alguns meses e continua tendo como referencia de moradia o local de origem, e o caso de trabalhadores vereis que vão todos os anos para outros estados trabalhar no corte de cana-de-açúcar por exemplo, e encerado o período de colheita retornam para seus estados de origem.
·         Exodo rural e o deslocamento de pessoas do campo para as cidades, essa mudança e permanente e, geralmente ocorre porque os habitantes do campo buscam na cidade melhore condições de vidas. Entretanto, essa migração pode ser involuntária, quando acontece, por exemplo em decorrência de mecanização do trabalho no campo.
·         Exodo urbano e mais raro de acontecer, mas e o oposto do êxodo rural, acontece quando pessoas que vivem na zona urbana (cidade) mudam para a zona rural (campo).
·         Nomadismo apesar de ser muito rara na actualidade, essa modalidade de migração e caracterizada pela ausência de fixação permanente. As pessoas mudam de lugar periodicamente e não estabelecem moradia fixa em nenhum lugar.
·         Diáspora e a rapida disperssao de um grupo populacional de um território. Em geral essa migracao e involuntária ou forcada, temos como exemplos mais expressivos a diáspora africana (ocorrida por forcada escravidão colonial) e a diáspora judaica (expulsão dos judeus da palestina pelo império romano).
As migrações independentemente das classificações possuem papel preponderante na organização do espaço, nas relações sociais e na contribuição da cultura. As pessoas, quando migram carregam consigo todos os elementos que a constituíram, como sua historia memória e cultura. Ao chegar novo local de moradia locais de relações entre as pessoas e das pessoas com o espaço vivido.

Conclusão

Neste presente trabalho conclui-se que o crescimento populacional e a mudança positiva de numero de indivíduos de uma população, compreender os conceitos de: Fecundidade, Natalidade, Mortalidade, Saldo fisiológico e das migrações.