Andebol


Historial do Andebol
O andebol do inglês handball foi criado na Alemanha pelo professor Konrad Koch em 1980. Inicialmente era praticado por onze jogadores por cada equipa, semelhante a futebol, mas este era praticado com as mãos.
Com o fim da 1a Guerra Mundial, em 1918, e o regresso dos alemães ao seu país, o andebol de onze ganha muita popularidade e expande-se por toda a Europa, sendo que os países do Norte da Europa adoptaram-no para ser jogado em pavilhões e ginásios, por causa do inverno rigoroso, o que originou a redução para o andebol de sete que se expandiu para outros países. As duas variantes, de sete e onze jogadores coexistiram ainda durante bastante tempo, mas gradualmente o Andebol de sete foi congregando a preferência dos adeptos e fundamentalmente dos praticantes, devido às condições em que era praticado e às características do jogo: maior movimentação, mais golos, mais emoção. A partir de 1947, esse desporto passou a ser praticado oficialmente com as regras do andebol de sete e em 1972 surgiu pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Munique.


Andebol é um desporto colectivo praticado por duas equipas, cada uma constituída por sete jogadores efectivos e cinco suplentes. O objectivo dos jogadores é de introduzir a bola na baliza da equipa adversária e impedir que ela entre na sua baliza, respeitando sempre as regras do jogo.

Regras do jogo

Início do jogo: O jogo começa com ambas as equipas no seu meio campo, tendo a equipa que possui a bola fazer um lançamento de saída (passe) através de um jogador no centro da linha de meio campo.

Como jogar a bola: A bola só pode ser jogada com as mãos podendo ser passada, rematada ou conduzida em drible em qualquer direcção; Não é permitido socar a bola ou lançar-se ao chão para agarrá-la;

Drible: Para avançar pode se driblar a bola (fazer saltar a bola no chão de forma contínua) com uma das mãos; Não é permitido bater a bola com as duas mãos ao mesmo tempo assim como driblar agarrar com uma ou duas mãos e voltar a driblar; Não se pode acompanhar a bola coma mão no momento do drible;

Passos: Com a bola nas mãos apenas pode dar 3 passos, o que te obriga a driblar, passar ou rematar antes de dar o quarto passo.

Regra dos 3 segundos: Um jogador só pode ter a bola em seu poder, sem fazer o drible, durante um período máximo de três segundos;


Área de baliza: Nenhum jogador pode passar a bola ao seu colega quando este está dentro da área da baliza; A área de baliza não pode ser pisada por nenhum atacante ou defensor;

Substituição: Não são permitidas substituições, exceptuando em caso de lesão, no qual a equipa em causa, poderá efectuar uma substituição pedagógica, Se um jogador tiver já sido utilizado durante 3 períodos, não poderá reentrar mesmo que o motivo seja lesão ou exclusão de um colega, devendo a substituição ser feita por outro jogador que não esteja nestas condições. Qualquer jogador pode ser substituído durante o jogo.
Ao cometer uma destas infracções a equipa perde o direito à bola, beneficiando a outra equipa de um lançamento livre marcado no local onde ocorreu a violação da regra.

Bola fora: A bola adequada para o jogo de andebol é aquela que apresenta 58 a 60 cm de perímetro e 425 a 475 g de peso. A bola está fora quando ultrapassa completamente as linhas laterais ou de baliza. A reposição da bola é feita:

  • Por um jogador da equipa que não foi responsável pela saída da bola;
  • Pelo guarda-redes dentro da sua área de baliza, quando a bola ultrapassa a linha de baliza tocada por um atacante ou pelo próprio guarda-redes;
  •  Por um jogador da equipa que ataca, quando a bola sai da linha de baliza após ter sido tocada por um defensor.

Comportamento para com o adversário:Agarrar, empurrar, puxar ou impedir o movimento do adversário é assinalado como um lançamento livre para a equipa que sofreu a falta e no local onde ele ocorreu; Se a falta ocorrer entre as linhas de 6 e de 9 metros, o lançamento livre será realizado ligeiramente atrás da linha dos 9 metros; Se ocorrer uma falta a um jogador em situação de golo, assinala-se um livre de 7 metros, colocando-se o jogador ligeiramente atrás da linha dos 7 metros.


O guarda-redes: O guarda-redes é o único jogador que pode defender a bola com qualquer parte do corpo dentro da área de baliza e movimentar-se com a bola na mão sem limitações. Ele não pode sair da área de baliza ou nela entrar com a bola na mão; Fora da área da baliza é considerado um jogador de campo.

Livre de 9 metros: Se as faltas forem cometidas entre a linha de seis metros e a linha de nove metros, os livres são executados sempre sobre a linha de nove metros e os jogadores da equipa contrária devem fazer a barreira na linha de seis metros.

  • Livre de 7 metros: Este livre é executado através de um lançamento directo à baliza e verifica-se quando um jogador:
  • Entra na sua área de baliza, intencionalmente, para defender;
  • Passa a bola ao seu guarda-redes, quando este se encontra dentro da área, defendendo-a;
  • Isolado e em boa posição para realizar um remate com êxito é empurrado, agarrado ou sofre uma rasteira;
  • Quando o guarda-redes entra na sua área de baliza com a bola nas mãos.
Na execução de um livre de sete metros, nenhum jogador, excepto o jogador marcador, pode permanecer entre a linha de seis metros e a linha de nove metros.

Golo: é considerado golo sempre que a bola transponha completamente a linha de baliza para o interior da baliza e a equipa que sofreu o golo reinicia o jogo da mesma forma, não sendo necessário que a equipa adversária esteja no seu meio campo. Qualquer jogador, inclusive o guarda-redes pode marcar o golo.

Drible
O drible é essencial para se avançar no campo, uma vez que só é possível dar um máximo de três passos com a bola na mão, fazendo a bola ressaltar de forma contínua usando uma das mãos. Para executar o drible, bate a bola no chão à frente e ao lado do pé com os dedos afastados, flectindo (curvar) e estendendo o braço e a mão sem olhar para a bola e sem deixar que ela ultrapasse a cintura. Não é permitido bater a bola com as duas mãos ao mesmo tempo e também não se pode acompanhar a bola com a mão no momento do drible. Podemos distinguir dois tipos de drible: drible de progressão e drible de protecção.

Drible de protecção acontece quando é pressionado pelo adversário e pretende conservar a bola em drible: a bola é batida à altura mais baixa e deve manter o teu corpo entre a bola e o adversário, para que este não chegue a ele.

Drible de progressão acontece quando um jogador avança no terreno de jogo batendo a bola em simultâneo;
Passe
O passe é realizado quando a equipa pretende progredir no terreno do jogo. Os jogadores tocam a bola entre si de modo que o adversário não a intercepte.

 Passe de ombro: No passe de ombro, a bola é controlada com as duas mãos para em seguida armar-se o braço segurando a bola com uma só mão à altura da cabeça e com o cotovelo afastado do tronco impulsiona-a na direcção do companheiro com um movimento rápido do antebraço e do pulso.

Passe picado ou passe de ressalto:Nesse passe, a bola deve bater no chão antes de chegar ao companheiro de equipa. Para executar o passe, é necessário controlar a bola com as duas mãos e fazer a bola ressaltar no chão, antes de chegar ao teu companheiro. Esse passe é utilizado quando o adversário está colocado entre o jogador que passa e o que recebe a bola.

 Passe de pulso: Chama-se passe de pulso ao movimento de rotação interna do braço, flectindo em seguida a mão que realiza o passe, esse passe tem por objectivo dar maior velocidade e direcção a bola.

     Recepção  
Para a recepção da bola, é necessário: manter o contacto visual com o colega que possui a bola; No momento de receber a bola orientar-se na direcção do portador da bola, ir ao encontro da bola e não esperar por ela; Os braços em extensão frontais, ligeiramente flectidos e descontraídos vão ao encontro da bola; Posição das mãos: polegares próximos uns do outro e os dedos afastados e descontraídos, formando com os polegares e indicadores um triângulo; Acção amortecedora do antebraço.
Finta
A finta é essencial no jogo para poder se desmarcar de um adversário e avançar no jogo. Para proceder, é necessário: Sentir os movimentos do adversário para não actuar de forma automática; Dinâmica adequada do defesa directo, de 1 a 1,5m; Rápida mudança de ritmo e direcção do atacante na execução da 2ª fase da finta e rápido transporte do peso do corpo para o lado oposto; Utilizar diferentes tipos de finta; Utilizar a finta apenas quando há uma justificação táctica.

Remates
Os remates são essenciais para finalizar uma jogada em golo junto a baliza, podendo rematar perto da baliza em apoio e suspensão.
Remate com apoio: O remate em apoio executa-se no limite dos três passos permitidos, sem driblar a bola, o jogador deve armar o braço no final do primeiro passo e rematar após o terceiro. Para fazer o remate com apoio é necessário:
  • Controlar a bola com as duas mãos e avançar o pé esquerdo;
  • Apoiar o pé direito com a ponta do pé para fora e rodar o tronco para trás, armando o braço.
  • Apoiar o pé esquerdo e impulsionar a bola rodando o tronco para frente.


Remate em suspensão: Nesse remate, o jogador salta na vertical, impulsionado pela perna livre e, em simultâneo arma o braço. A elevação e inclinação do corpo é importante para a potência do remate e o braço livre permite equilibrar o corpo em suspensão. Para se efectuar o remate em suspensão deve:

  • Executar uma corrida rápida em direcção a baliza;
  • No limite da linha de área, saltar na vertical sobre a perna do último apoio, flectindo a perna livre e armando o braço;
  • Rodar ligeiramente o tronco no sentido do braço armado, para dar maior potência ao remate;
  • O remate é realizado no momento mais alto do salto.


Lançamentos

Os lançamentos são usados para a reposição da bola ao jogo e a marcação de livres, e a reposição é feita quando a bola ultrapassa totalmente a linha lateral ou a linha de baliza.

Lançamento pelo árbitro (bola ao ar): Verifica-se sempre que dois jogadores adversários:fizerem falta simultânea;ou agarrarem a bola ao mesmo tempo – bola presa.

Lançamento lateral: ocorre quando a bola sai do campo pela linha lateral. Na execução, o jogador tem de ter um pé em contacto com a linha lateral no local onde a bola saiu, arma o braço e passa a um dos colegas de equipa. Durante a sua reposição, todos os defensores devem estar a três metros de distância do jogador que repõe a bola.

Lançamento de canto: ocorre quando a bola sai do campo pela linha de baliza depois de ter sido tocada por um defesa. A sua reposição é feita no vértice entre a linha lateral e alinha de baliza e é feita em o apito do árbitro.

Ataque: O contra-ataque, resultante de uma falha do adversário, de uma boa intervenção do guarda-redes ou de uma intercepção da defesa, é muitas vezes a primeira situação de ataque. Em situações de superioridade numérica, o atacante deve driblar e rematar junto à área. Se algum dos defesas o pressionar, deve passar a bola imediatamente ao companheiro livre.
Defesa: Uma equipa pode utilizar dois tipos de defesa: individual (quando cada jogador marca um adversário directo) ou à zona (quando cada jogador é responsável por uma determinada área do campo). As principais preocupações da defesa são:

Defender o jogador com bola, colocando-se entre o atacante e a baliza, evitando que este se aproxime da baliza, que remate ou passe em boas condições.

Defender o jogador sem bola, colocando-se entre a bola e o possível receptor, evitando que este a receba (cortar a linha de passe).

Recinto do jogo (instalações e materiais)
O formato do recinto oficial do jogo é rectangular com 800 m2 sendo 40 metros o comprimento e 20 metros a largura do campo e é delimitado por duas linhas laterais e duas linhas de baliza com uma linha de meio-campo no centro. A cada linha de baliza, ao centro, existem duas áreas de baliza de 6 metros marcadas a cheio e duas áreas de lançamento marcadas a tracejado e paralelas a áreas de baliza respectivas.
Entre as linhas de 6 metros e 9 metros há uma linha do livre de 7 metros e dentro da área da baliza há uma marca de 4 metros, que define o limite do guarda-redes quando há um livre de 7 metros e na linha lateral há uma marca de limite da zona de substituição de cada lado da linha do meio-campo.
Sobre cada linha de baliza, ao centro, encontram-se as balizas com 3 metros de largura e 2 metros de altura e os seus postes são pintados a duas cores alternadas suportando uma rede.



Duração

O jogo tem a duração de 1 hora e decorre em duas partes de 30 minutos cada com um intervalo de 10 minutos. Ganha o jogo a equipa que no fim do tempo regulamentar tiver obtido o maior número de golos, caso ocorra um empate, são submetidos a um prolongamento de 10 minutos divididas em duas partes de 5 minutos, em casos em que seja necessário desempatar. Se persistir na igualdade, efectua-se o segundo prolongamento e só depois, se necessário, faz-se uma série de 5 livres de 7 metros.

Início do jogo

Depois de ter sido feito o sorteio da posse de bola, cada equipa ocupa o seu campo. Após o apito do árbitro, o jogador com a posse de bola dá o início ao jogo com o lançamento de saída no centro da linha do meio-campo. Com o lançamento de saída pode-se obter directamente o golo e também é utilizado após o golo para a reposição da bola em jogo para a equipa que sofreu o golo. Os jogadores que realizam o lançamento de saída devem estar no meio-campo e os adversários em qualquer ponto do campo. Após o intervalo, as equipas trocam de meio-campo e a outra equipa inicia o jogo. 

Funções / responsabilidades de cada posto específico

Extremos:
  •   Condicionar e controlar as acções do ponta.
  • Ajudar o companheiro que lhe está mais próximo.
  • Tentar impedir a concretização de qualquer remate no seu espaço de actuação.
  • Estabelecer com o guarda-redes o ângulo de remate da ponta a permitir ao adversário.
  • Tentar impedir a entrada do ponta aos seis metros, acompanhando-o até ser possível a troca de marcação, caso não o consiga. Sair ao portador da bola na sua zona de acção.

Laterais:

  •  Sair ao portador da bola na sua zona de acção, sempre em coordenação com o central do seu lado.
  • Condicionar e controlar as acções do lateral contrário respectivo.
  • Marcar um dos adversários que permaneçam nos seis metros, em coordenação com o central, sempre em marcação de intercepção à linha de passe.
  • Tentar impedir a concretização de qualquer remate no seu espaço de actuação.
  • Acompanhar qualquer entrada aos seis metros do seu adversário directo e fazer a devida troca de marcação, logo que possível.

Centrais:

  • Dirigir a defesa no seu todo e na sua movimentação.
  • Marcar os adversários que eventualmente permaneçam nos seis metros, sempre em marcação de intercepção à linha de passe.
  • Garantir a homogeneidade e o equilíbrio da organização defensiva.
  • Sair ao portador da bola na sua zona de acção, sempre em coordenação com o outro central e com o lateral desse lado.
  • Tentar impedir a concretização de qualquer remate no seu espaço de actuação

     Arbitragem
     O jogo é dirigido por um árbitro central e um árbitro de baliza, que durante o jogo devem trocar de lugar. Os árbitros são auxiliados por um marcador e cronometrista.


 Conclusão
Após a realização do trabalho, podemos concluir que o andebol teve a sua origem na Alemanha pelo professor Konrad Koch e era praticado por 11 jogadores, rapidamente se expandiu por toda a Europa e após a 1a Guerra Mundial os países nórdicos adaptaram-no para ser jogado em pavilhões devido ao inverno rigoroso e reduziram o número de jogadores para 7 e a partir de 1947 passou a ser jogado oficialmente com as regras do andebol de 7.

O andebol é um jogo colectivo jogado por duas equipas com 7 jogadores, com o objectivo de introduzir a bola na baliza adversária e impedir que ele entre na sua baliza. O jogo está dividido em duas partes com a duração de 30 minutos e 10 minutos de intervalo dirigido por dois árbitros (de baliza e central) e auxiliados por um marcador e um cronometrista. No andebol, não é permitido dar três passos com a bola na mão, sendo necessário driblar para avançar no campo.
      
Bibliografia
https://ubibliorum.ubi.pt/bitstream/10400.6/2314/11/Apresentação%20Andebol.pdf
escolasmoimenta.pt/wp-content/uploads/2012/10/Regras-de-Andebol.pdf
files.aefv-ef.webnode.pt/200000003…/Documento%20de%20apoio-Andebol.pdf





AVISO: Nos não nos responsabilizamos por qualquer uso ilegal deste trabalho, comprem o original e valorizem os direitos do autor! Não tirem fotos e nem imprimem esse trabalho. “Apenas Leia”

#BAIXE ESTE TRABALHO COMPLETO